A universalização da lusofonia e a política externa de Portugal no Atlântico Sul: a colonialidade do poder presente na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa

Amanda Ramalho Guimarães

Resumo

A partir da reunião preparatória da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) para o Fórum Mundial da Água, ocorrida em julho de 2017 em Lisboa, algumas observações acerca do comportamento de Portugal, no contexto do bloco em questão, emergiram. Para tanto, este artigo pretende analisar as recentes movimentações do bloco, bem como o impacto da política externa portuguesa para o andamento das atividades da CPLP, de que forma a lusofonia é utilizada enquanto justificativa para a coalizão dos países do bloco, bem como o impacto de tal coalizão para a manutenção das instituições coloniais do Atlântico Sul. Continuar lendo

Anúncios
Publicado em Europa, Uncategorized | Marcado com , , , | Deixe um comentário

República Popular da China e América Latina: estreitamento frente às políticas de Donald Trump

Sofia Lima

Resumo

Com a eleição de Donald Trump para a presidência dos Estados Unidos, a estratégia “America First”, ou América em primeiro lugar, passou a orientar as relações dos Estados Unidos com a maior parte do mundo. Como resultado, a China viu no enfraquecimento das relações entre EUA e América Latina uma oportunidade para estreitar sua relação com a região. Nesse sentido, o presente artigo objetiva traçar um breve histórico das relações entre a China e a América Latina no século XXI, para discutir como a eleição de Donald Trump pode alavancar as relações comerciais entre esses países. Continuar lendo

Publicado em América, Ásia, Uncategorized | Marcado com , , | Deixe um comentário

A mulher na África Subsaariana e o debate acerca dos Direitos Humanos

Christyane Gomes Dias Martins

Mariane Monteiro da Costa 

Nos últimos seis meses, mais de 140 comunidades na Guiné-Bissau declararam o abandono da prática da mutilação genital feminina. Práticas como esta, que prejudicam a saúde da mulher, vão contra o que se defende na Declaração Universal dos Direitos Humanos. No entanto, diante da pluralidade étnica e densidade cultural da África Subsaariana, elas são perpetuadas através de tradições únicas e práticas culturais passadas de geração em geração. Isto gera um debate importante entre manter a cultura de um povo como ela é e a necessidade que ela siga valores e direitos tidos como universais. Assim, o seguinte artigo busca apresentar a região da África Subsaariana, em  algumas de suas práticas e tradições culturais das etnias da região relacionadas às mulheres, que violam os Direitos Humanos, e o debate universalista e relativista que envolve esses direitos. Continuar lendo

Publicado em África, África Subsaariana, Uncategorized | Marcado com , , , | Deixe um comentário

A eleição na Coréia do Sul e a mudança na temática: da corrupção para segurança nacional

Gabriela Nunes da Silva Souza

Laura Fernanda Gonçalves Cardoso

Resumo

As últimas semanas da corrida presidencial da Coréia do Sul, intensamente disputada, foi ofuscada pela ameaça de uma guerra nuclear contra a Coréia do Norte. Com o crescente temor de que Kim Jong-un, ditador da Coréia do Norte, pudesse desencadear mais testes nucleares e que isso fosse prejudicar de forma intensa a Coréia do Sul, as eleições mudaram o foco das campanhas de corrupção para a segurança nacional. Diante da vigência dos problemas políticos internos e a inserção sul-coreana em uma área envolta por conflitos, foi eleito, no dia 09 de maio de 2017, o novo presidente Moon Jae-in. Este artigo, portanto, pretende discutir a mudança do foco da corrupção para segurança nacional que ocorreu na transição do impeachment de Park Geun-hye para as eleições de 2017 e também questionar uma possível aproximação sul-coreana com a China após a vitória de Moon Jae-in. Continuar lendo

Publicado em Ásia, Uncategorized | Marcado com , , , | Deixe um comentário

Dificuldades no direito à cidadania dos povos ciganos na Europa: tradição, periferização e esquecimento

Amanda Ramalho Guimarães

Resumo

Em face da semana de valorização da cultura cigana, comemorada em abril deste ano na Europa, algumas discussões têm sido levantadas acerca da situação dessas comunidades. Donos de uma tradição secular e habitantes da Europa desde o século XIV, os povos ciganos somam expressivos números populacionais e ocupam posições de vulnerabilidade social que lhes conferem presença constante em muitos índices de pobreza. Em um contexto de falta de garantia de direitos cidadãos, as comunidades ciganas padecem na periferia do sistema de Estados europeu. Este artigo, para tanto, tratará das dificuldades da ausência de uma ideia de pátria e de organização burocrática estatal no entendimento da situação de cidadania contemporânea. Continuar lendo

Publicado em Europa, Uncategorized | Marcado com , , | Deixe um comentário

Disputa do Mar do Sul da China: o embate China-Filipinas e a necessidade de uma cooperação multilateral

Fernanda Cardoso Fonseca

Resumo

Em abril de 2017, o presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, enviou tropas para as ilhas inabitadas do Mar do Sul da China. Este gesto foi totalmente contra o acordo acertado entre China e Filipinas de não intervenção militar no território marítimo. O cerne do problema é que as mesmas ilhas são reivindicadas tanto pela China como pelas Filipinas em uma disputa que perdura há décadas . A necessidade de cooperação entre os países se faz necessária, juntamente com os representantes da Associação de Nações do Sudeste Asiático (ANSEA), sendo esta uma das escassas oportunidades de se alcançar uma possível resolução do conflito. O presente artigo busca uma abordagem histórica do conflito, bem como suas consequências econômicas e se os países formadores da ANSEA têm condições de serem remediadores do conflito com a China. Continuar lendo

Publicado em Ásia, Uncategorized | Marcado com , , , , | Deixe um comentário

Crise Humanitária Africana: Um debate sobre justiça distributiva e a validade da ajuda externa

Caroline Oliveira

Tales Campos

Resumo

O continente africano enfrenta a maior crise humanitária desde o fim da Segunda Guerra Mundial, em 1945, segundo relatório da ONU. Os países mais afetados são Sudão do Sul, Somália, Nigéria, Etiópia e Quênia. A magnitude da crise que atinge o continente exige uma ação externa eficiente para a resolução dos problemas políticos e econômicos que assolam o continente africano. O corte de gastos, ação limitada da ONU e suas subdivisões, além do questionamento acerca da validade das políticas de operação de paz, porém, levam a dúvidas quanto ao futuro do desenvolvimento desses países. A partir disso, levanta-se a discussão a respeito do papel do ocidente na resolução da crise e como ele vem agindo com relação ao caso. Explora-se também, os diversos fatores que contribuíram para o desenvolvimento do problema na região africana, dentre eles os conflitos internos, ação de grupos terroristas e falhas nos programas de ajuda humanitária. Para auxílio das análises utilizam-se conceitos como o de “Justiça Distributiva” de John Rawls (2003) e de “Estados Falidos” – salientado no artigo de Rotberg (2002) e os dados provenientes da Failure States Index, de 2016. Continuar lendo

Publicado em África, Uncategorized | Marcado com , , , , , , , | Deixe um comentário